set
10
2013
Investimentos: qual é a rentabilidade do aluguel de imóveis?

O objetivo principal de qualquer forma de investimento é o rendimento além do salário habitual. Além das mais conhecidas, como o Tesouro Direto e a Bolsa de Valores, outras formas de investimento podem ser bem sucedidas quando o assunto é ganhar dinheiro, entre elas, está o aluguel de imóveis. A boa notícia para quem pensa nessa alternativa é que, segundo o Índice FipeZap, houve uma valorização de 13,7% nos imóveis brasileiros neste ano.

Apesar disso, é preciso cuidado! Em tempos de alta inflação, a compra de imóveis para obter renda através de o aluguel requer estratégia. Devido ao alto preço dos prédios e casas, o retorno obtido com alugueis pode ser menor que a inflação e até mesmo que os rendimentos da poupança. Para calcular esse retorno, o locatário deve avaliar o correspondente entre o aluguel e o valor do imóvel da seguinte forma: para uma quantia de 100 mil reais de compra, um aluguel de 1.000 reais mensais dá um retorno de 1% ao mês.

Porém, nem todo local apresenta essa realidade. Em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, as taxas de retorno, no início de 2013, variavam de 0,39% a 0,49% ao mês. De acordo com o FipeZap, este valor ainda não inclui o desconto do Imposto de Renda. Se levarmos em consideração o recorde de rendimento da poupança no mês de Agosto, após a mudança das regras de remuneração, achamos uma rentabilidade de 6,17% mais a Taxa de Referencial (ao ano). Já o Tesouro Direto, por meio da Letra Financeira do Tesouro, está rendendo cerca de 0,58%. Além desses valores, ainda há a vantagem de ser um investimento de menor risco, tendo em vista que são modalidades conservadoras.

Para quem deseja investir em imóveis comerciais, a realidade é um pouco diferente. As rentabilidades ficam entre 0,8% e 1,0% ao mês, e a segurança jurídica é um ponto positivo neste investimento. Apesar disso, é uma aplicação de maior risco para pessoas físicas, que podem encontrar dificuldades na diversificação e manutenção da qualidade do investimento. Isso porque a locação para moradia é mais cativa, uma vez que, no setor comercial, a instabilidade da economia pode influenciar na permanência ou não do aluguel.

O coordenador do Núcleo de Real Estate da Poli-USP, professor João Rocha Lima, explica que, nesse segmento, o melhor a fazer é investir em fundos e não diretamente. Por meio de fundos imobiliários, é possível investir em andares ou prédios inteiros, com inquilinos que variam de multinacionais a shoppings. “Mas se for para comprar salas comerciais, há muita mudança de inquilinos”, ressalta.

Acompanhe a Dominus Auditoria nas redes sociais para saber mais sobre Finanças e Contabilidade: Facebook | Twitter | Slideshare. Conheça também os nossos serviços: www.dominusauditoria.com.br.

Fontes: [1][2]

* * * * * (1) voto(s).
  • Share/Bookmark

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>